Clínica de Odontogeriatria na cidade do Porto

COM A IDADE QUAIS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS QUE PODEM SURGIR NA CAVIDADE ORAL, NOS DENTES, NAS GENGIVAS E NAS MUCOSAS?

Os problemas mais comuns que surgem com a idade são as cáries, principalmente as cáries radiculares (raízes dos dentes), a doença periodontal (gengivas), a perda de dentes, as alterações funcionais da cavidade oral (mastigação), o desgaste dentário, o cancro oral, a xerostomia (sentir a boca seca) e a dor crânio-facial. Outras alterações associadas à idade estão relacionadas com o aparecimento de mucosas sensíveis e finas, alteração da cor dos dentes e diminuição da percepção de certos sabores.

PERANTE PROBLEMAS COM A MINHA SAÚDE GERAL POSSO FAZER TRATAMENTOS COM SEGURANÇA NO MÉDICO DENTISTA?

Sim, é importante visitar o Médico Dentista e informá-lo de todos os problemas de saúde e dos medicamentos que está a tomar. Deste modo, o tratamento médico dentário decorrerá em segurança, pois o profissional irá tomar todos os cuidados necessários e realizar os tratamentos adequados a cada situação clínica.

É IMPORTANTE INFORMAR O MEU MÉDICO DENTISTA DE TODOS OS MEDICAMENTOS QUE TOMO?

Sim, pois alguns medicamentos quando tomados de forma continuada tem repercussões na cavidade oral e nos tratamentos. O Médico Dentista poderá ajustar a terapêutica prescrita e realizar os tratamentos na cavidade oral com segurança, diminuindo ou mesmo evitando interferências desses medicamentos.

É IMPORTANTE MANTER OS DENTES NATURAIS?

Sim, devemos procurar manter os dentes naturais usando os recursos da Medicina Dentária. Um único dente pode ser um meio de retenção de uma prótese removível, durante alguns anos. Os cuidados preventivos a ter com este dente, nomeadamente o número de visitas a realizar ao Médico Dentista, deve ser o mesmo, como se existissem mais dentes na cavidade oral.

AS ALTERAÇÕES ESTÉTICAS, DE DENTES E DAS GENGIVAS, QUE SURGEM COM A IDADE, PODEM SER CORRIGIDAS?

Sim, com a idade os dentes podem sofrer alterações de cor ficando mais amarelos e/ou acastanhados, assim como podem surgir dentes com aspecto longo, devido à retracção gengival, ou mais curtos, por causa do desgaste. Existem tratamentos, por vezes simples e pouco dispendiosos, que podem ajudar a melhorar a estética em algumas situações como, o recurso a resinas compostas ou ao branqueamento dentário. Outros mais complexos e completos como reabilitações protéticas fixas ou o recurso à ortodontia (correcção do posicionamento dentário), podem ser soluções também indicadas nestas idades.

EXISTEM RISCOS EM MANTER NA CAVIDADE ORAL OS DENTES NATURAIS?

Não, desde que os dentes não apresentem problemas de cárie, doença periodontal (gengivas), ou estejam a provocar trauma das mucosas ou qualquer outra alteração que possa prejudicar a saúde em geral. Deve ser o Médico Dentista a avaliar a sua saúde oral e, em conjunto estabelecer um plano de tratamento adequado.

QUAIS OS PROBLEMAS MAIS GRAVES QUE PODEM SURGIR COM A PERDA DOS DENTES NATURAIS?

Para além das alterações estéticas, fonéticas e funcionais a perda de um dente provoca na boca alterações nomeadamente nos outros dentes, pois alteram a relação que estes estabelecem, isto é, os restantes dentes movem-se para os espaços que ficam “vazios” sofrendo rotações e versões e alterando a oclusão (mordida).

QUANDO OS DENTES “ABANAM”, OU AS GENGIVAS SANGRAM E DOEM, O QUE DEVO FAZER?

Deve dirigir-se com a máxima urgência ao Médico Dentista para que este avalie o estado da boca. Poderá ser urgente, para além de outras medidas, a realização de uma destartarização (limpeza) para eliminar a placa bacteriana e/ou tártaro que constituem causas desta situação clínica. A placa bacteriana é uma espécie de película que adere aos dentes e às gengivas e quando não é removida transforma-se em tártaro duro e rugoso, lesivo para as gengivas e para o suporte dos dentes, provocando, numa fase mais avançada, dor e mobilidade dentária.

QUE MEDIDAS PREVENTIVAS APLICAR PARA AJUDAR A MANTER A SAÚDE DA MINHA BOCA?

Escovar os dentes diariamente, pelo menos duas vezes por dia, uma das quais obrigatoriamente antes de deitar, com uma escova média, e usar escovilhões interdentários ou fio dentário para higienizar os espaços entre os dentes e um raspador lingual para limpar a língua. Usar diariamente um dentífrico fluoretado e um suplemento de flúor, em bochecho, é o ideal para prevenir a cárie dentária e a perda de dentes. Os anti-microbianos como a clorohexidina podem ajudar a diminuir as bactérias na boca ajudam a controlar a placa bacteriana e o aparecimento do tártaro. Se sentir a boca seca, usar substitutivos de saliva para a humedecer a cavidade oral. Pode ser útil. Aconselhe-se com o seu Médico Dentista. Deve ter cuidado com os alimentos ricos em açúcares (refinados ou não). Deve visitar o Médico Dentista pelo menos 2 vezes por ano.

VALE A PENA COLOCAR PRÓTESES DENTÁRIAS PARA SUBSTITUIR OS DENTES NATURAIS PERDIDOS?

Sim. Os dentes intervêm em processos como a mastigação, deglutição, fonética e no aspecto da estética facial. Quando perdemos dentes, sofremos alguma destas alterações que podem ser minimizadas se substituímos os dentes em falta através de próteses dentárias, que poderão ser fixas ou removíveis.

COMO PODEM SER SUBSTITUÍDOS OS DENTES NATURAIS PERDIDOS?

A perda dentária no idoso pode ser compensada através de tratamentos com prótese fixa ou prótese removível. Os tratamentos com próteses removíveis são os mais comuns, devendo o idoso reabilitado com prótese ser alvo de uma atenção contínua pelo Médico Dentária. Este profissional terá uma atenção preventiva, no sentido de avaliar a necessidade de modificações e readaptações.

QUE CUIDADOS DEVO TER COM AS PRÓTESES DENTÁRIAS?

A manutenção das próteses exige alguns cuidados, tais como higienização após as refeições (das próteses e dos dentes naturais caso existam), limpeza feita com uma escova especial para próteses, ou uma escova das unhas com cerdas de nylon e um pouco de dentífrico ou se puder um pouco de sabão ou um produto específico para higienizar próteses para evitar a formação de manchas. Por fim, a passagem por água abundante. Remover as próteses durante o sono, diariamente, para que as mucosas descansem durante algumas horas, salvo em raras excepções. Conserva-las em água mas, associada ao uso de pastilhas desinfectantes comercializadas (meios alcalinos). Sempre que surja um “mal-estar” na mucosa oral, procurar a ajuda do Médico Dentista.

COMO POSSO MANTER UMA BOA SAÚDE ORAL NA MINHA IDADE?

Marcando uma consulta numa clínica de Medicina Dentária, onde o Médico Dentista poderá identificar os problemas orais e dar informações de como os solucionar, em função das necessidades de cada individuo. Os beneficiários do complemento solidário para idosos podem dirigir-se ao centro de saúde e solicitar junto do médico de família apoio para a consulta de Medicina Dentária, mediante a integração no Projecto de Saúde Oral para Pessoas Idosas (cheque dentista).

MESMO NÃO TENDO DENTES NATURAIS DEVO CONSULTAR UM MÉDICO DENTISTA COM REGULARIDADE?

Sim, com o passar do tempo os tecidos orais sofrem modificações podendo surgir lesões que quando não controladas se podem transformar em lesões malignas. Os portadores de próteses dentárias totais sofrem alterações das mucosas e desajustes das próteses, que deverão ser corrigidas para evitar feridas e lesões graves. Em algumas situações devem avaliar-se as infecções por fungos associadas ao uso de próteses dentárias.

ONDE ME DEVO DIRIGIR PARA FAZER AS PRÓTESES DENTÁRIAS?

Para substituir os dentes perdidos por próteses dentárias, removíveis ou fixas, deve dirigir-se ao Médico Dentista e pedir-lhe uma avaliação da situação clínica e da indicação de qual o melhor tipo de prótese. Só estes profissionais têm competências clínicas para o aconselhar e tratar.

POSSO BENEFICIAR DE COMPARTICIPAÇÃO FINANCEIRA NA AQUISIÇÃO E REPARAÇÃO DAS MINHAS PRÓTESES?

Os beneficiários do Complemento Solidário para Idosos podem dirigir-se a uma Clínica de Medicina Dentária para a realização, a readaptação ou para consertar as próteses. O Médico Dentista fornecerá então uma cópia da receita médica da prótese, a factura discriminada da despesa e o recibo de pagamento. Estes documentos deverão ser entregues no Centro de Saúde, que verifica toda a documentação.

O pagamento é efectuado pelo Instituto da Segurança Social, e traduz-se numa comparticipação até 75% (máximo 250 cada 3 anos) da despesa, na aquisição e reparação de próteses dentárias.

MENU